Posts curtos

O burrico e eu, com Ursulino Leão e J. M. Jimenez (um poema).

Leveza e Esperança

Da série “Gênese de um livro”
Os Bichos (VII) –

O burrinho

À Ursulino Leão.

Platero e eu*” é história antiga
de quando os animais falavam;
quem ma contou foi Ursulino –
por Leão de sobrenome, mas
d’alma um cordeiro cativo.

No dia de seu octogésimo ano
nós, seus leitores brindados
c’oa história de um burrinho
queimado e malhado na testa;
burrinho de pernas rajadas
e de alma bíblica completa.

O burrinho da crônica além
de clone do jumento do Cristo
milênios antes em Jerusalém –
nos encantava com seu dístico:

Dá-nos u’a “nesga de satisfação
na caligem dos nossos pesares”

Do burro xucro de meus dias
aprendi que escoicear o vento
inseparável companheiro cria
aos pobres, aos fracos intentos

de nossas bocas de infantes
um mundo de hosanas e vivas
Platero e eu; eu e Platero
congresso de vida refazemos

E saio da história do amigo
desejoso…

Ver o post original 118 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s